Entrelaces do SUS: saberes, fazeres e cuidado em saúde

Organizadores:
PINTO, Antonio Germane Alves
SILVA FILHO, José Adelmo da
TORRES, Geanne Maria Costa


ISBN: 978-65-87115-06-1 (impresso)
ISBN: 978-65-87429-18-2 (impresso)
ISBN: 978-65-87429-19-9 (e-book/pdf)
DOI: 10.35260/87429199-2020
Ano de publicação: 2020
448 páginas

Como citar:
ABNT: PINTO, Antonio Germane Alves; SILVA FILHO, José Adelmo da; TORRES, Geanne Maria Costa (Org.). Entrelaces do SUS: saberes, fazeres e cuidado em saúde. Sobral-CE: SertãoCult, 2020.

APA: Pinto, A. G. A.; Silva Filho, J. A.; Torres, G. M. C. (Org.). Entrelaces do SUS: saberes, fazeres e cuidado em saúde. Sobral-CE: SertãoCult, 2020.

Baixe aqui o seu livro


APRESENTAÇÃO

Apresenta-se ao cotidiano das práticas no Sistema Único de Saúde (SUS) o livro ENTRELACES DO SUS: saberes, fazeres e cuidado em saúde, elaborado pelas mãos ativas dos membros do Grupo de Pesquisa Clínica, Cuidado e Gestão em Saúde (GPCLIN), da Universidade Regional do Cariri (URCA).

A tessitura desse coletivo envolve linhas de pesquisa integradas com o agir em saúde. Enfatizam-se estudos voltados para ampliação da clínica, gestão e produção subjetiva do cuidado, educação e formação, bem como a gestão participativa em saúde. As temáticas são dispostas pelas necessidades e demandas do campo, do território e do ensino na saúde.

Estão dispostos três atos, cada um com os tons desse movimento dançante, por vezes alegre, outrora criativo, mas sempre resistente! No Ato I, entrelaçam-se as evidências para as práticas do cuidado, gestão e educação em saúde. Entre os saberes e fazeres cotidianos, expressam-se afetos, grupalidades, situações e enfrentamentos adversos em tempos pandêmicos.

No capítulo “Enfermagem, cuidado e espiritualidade: ressignificando as práticas de saúde”, dispõe-se uma inovação subjetiva para as relações e práticas de cuidado em saúde: a espiritualidade. Em seguida, no capítulo “O profissional de educação física e a experiência da criação de um Grupo de Práticas Corporais na Atenção Básica”, a criatividade da formação em serviço se expressa na grupalidade corporal possível no território da Atenção Básica.

A organização dos serviços de saúde e a potencialidade dos arranjos assistenciais do SUS para a atenção integral está discutida nos capítulos “Da teoria à prática: conhecendo o processo de gerenciamento na Atenção Primária à Saúde” e “Gestão do cuidado e planejamento participativo no enfrentamento das condições crônicas de saúde no SUS: demandas, organização e indicações para prática”. Neles evidenciam-se as possíveis intervenções equânimes e alinhadas ao viver social.

As instrumentalidades da análise situacional aos agravos crônicos entoam os capítulos “Diabetes mellitus na IX Região de Saúde do Estado de Pernambuco: um estudo baseado em dados secundários” e “Hemovigilância e reações transfusionais: abordagem epidemiológica no cenário regional do centro-sul cearense” como ferramentas para tomada de decisão em saúde.

Ao integrar políticas, saberes e práticas, no capítulo “Educação Permanente em Saúde: Fortalecimento do Conhecimento para Ações dos Agentes de Combate às Endemias” estão apresentados caminhos para enaltecer o trabalho ativo no combate às situações endêmicas.

Nos capítulos “Estratégia de gestão para fortalecer as Redes de Atenção à Saúde” e “Programa Saúde na Escola como proposta de integração de saberes e práticas em ambientes escolares” se estampam possibilidades estratégicas para fazer valer a integração no SUS.

A educação em saúde entrelaçadas nas situações do território estão presentes nos capítulos “Descentralização das ações para o controle do tabagismo na Estratégia Saúde da Família: relato de experiência” e “Processo de trabalho da Estratégia Saúde da Família em tempos de pandemia COVID-19”. Nossas adversidades, por vezes são resultantes de modos de vida e, outras vezes, pelo desequilíbrio global.

No Ato II, o entrelace permeia a resistência no fazer cotidiano do cuidado e afeto, proteção e qualidade assistencial. O movimento dançante da resistência expressa-se no enfrentamento das violências, da reprodução e da sexualidade humana, política assistencial à gestante e pesquisa na saúde.

Nos capítulos “A prática profissional do enfermeiro frente às mulheres em situação de violência” e “O papel do enfermeiro da Atenção Primária à Saúde na assistência à mulher vítima de violência” apresentam-se o enfermeiro na assistência à mulher vítima de violência, com visão para a identificação, acolhimento, formação de vínculo e empoderamento da mulher para o enfrentamento da problemática.

Seguindo a vertente, o capítulo “Atuação do Agente Comunitário de Saúde frente à violência contra a mulher” coloca a violência diante das compreensões e condutas de uma categoria profissional ímpar no território de cuidados da Atenção Primária à Saúde. No capítulo “Violência obstétrica na assistência ao parto: conhecimento para enfrentamento pelo Sistema Único de Saúde”, a violência obstétrica é identificada nas percepções de mulheres puérperas por meio de seus saberes e experiências no parto e nascimento.

O capítulo “Percepções e vivências de acadêmicos do centro-sul cearense acerca da reprodução e sexualidade: repercussões para o cuidado em saúde” vislumbra discussões acerca da saúde sexual e reprodutiva no universo de construção de saberes profissionais. A compreensão dos problemas enfrentados pelas gestantes em relação ao acesso às consultas do pré-natal é contemplada na voz de mulheres no capítulo “A ótica da gestante acerca dos entraves do acesso ao pré-natal”.

O pré-natal é colocado em avaliação concernente à qualidade da assistência por meio de um modelo de atenção à saúde no capítulo “Avaliação da qualidade da assistência pré-natal e a implementação da Rede Cegonha no interior do Ceará à luz do Quality Maternal and Newborn Care”. O capítulo “Uso da técnica de grupo focal em pesquisas qualitativas na saúde da criança e do adolescente” evidencia o uso de uma técnica de coleta de dados empregada nos estudos de abordagem qualitativa. Espaço de diálogo, reflexão, (re)construção de concepções.

No Ato III, exaltam-se os entrelaços da Formação: Educação, Saúde, Tecnologia e Interprofisionalidade. Os olhares sobre a formação permeada pela inserção de práticas educacionais contemplam a interação ensino-serviço e vislumbram o trabalho em saúde conectado pelas tecnologias do cuidado e práticas interdisciplinares e interprofissionais, apoiadas pela dialogicidade, atitudes, habilidades interpessoais, experiências e espaços de socialização para proporcionar mudanças significativas no saber-fazer na saúde.

O capítulo “Cuidar-Gerenciar-Educar: reflexões frente à formação dos acadêmicos de Enfermagem” envolve o processo do cuidar-gerenciar-educar e suas reflexões sobre a gerência do cuidado na prática cotidiana do trabalho em saúde, buscando produzir transformação nas práticas dos profissionais, na própria organização do trabalho e na orientação desse caminho, guiados pela visão crítica, senso de colaboração e trabalho coletivo, aspectos essenciais nos processos de tomada de decisão.

Dando continuidade, o artigo “Vivências e Estágios na realidade do Sistema Único de Saúde: reflexões e debates” compartilha a aprendizagem vivencial nos campos de estágios por meio de experiências e reflexões partilhadas que contribuem na efetivação de práticas interdisciplinares e interprofissionais para os que fazem, vivenciam e atuam no SUS, potencializando a integração ensino-serviço e os efeitos transformadores entre todos os envolvidos no processo.

Os capítulos “A Extensão Universitária na Formação Integral em Enfermagem”, “Práticas de extensão universitária por meio do Projeto Jovens Socorristas: um elo entre a formação em saúde e o Sistema Único de Saúde” e “Projeto Canal Saúde On-line na Formação de Juventudes Protagonistas no Sistema Único de Saúde” enriquecem as práticas dos profissionais, docentes e discentes num processo de ação-reflexão-ação, cujo aprendizado mútuo permite a ancoragem de novos conhecimentos por meio da interação entre o pensar e o fazer. O processo de educação em saúde fomenta práticas colaborativas na produção do cuidado em saúde, concebida de forma articulada às demandas do SUS e compartilhada por ideais, vivências, opiniões e experiências que primam pelo diálogo, escuta receptiva e respeito mútuo.

No capítulo “Percepções docentes sobre as Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) na formação em enfermagem”, evidencia-se o diálogo dessa ferramenta com as práticas pedagógicas no ensino em enfermagem, integrando saberes e criando espaços para aprendizagem inovadora e colaborativa, permitindo aproximar as TDIC no processo de formação dos profissionais no contexto do SUS, substâncias na promoção da autonomia e na capacidade de responder às demandas de cuidado em saúde da população. A utilização das ferramentas tecnológicas permite uma interação rápida e eficaz na segurança do paciente, conforme destacado no capítulo “Simulação virtual para o ensino da segurança do paciente”, promovendo uma aprendizagem significativa, livre de danos ao paciente e envolvendo as práticas pedagógicas ao lúdico no processo de ensino e aprendizagem, estratégia promissora capaz de atribuir maior significado à construção conjunta do conhecimento.

Refletir e ressignificar as práticas enfatizando a educação e a pesquisa, dialogando com as melhores evidências para avaliar a qualidade de vida dos acadêmicos de enfermagem e a promoção da saúde no ambiente educacional, integram os capítulos “Qualidade de vida na trajetória acadêmica de universitários de enfermagem: um estudo de campo” e “Competências em promoção da saúde no ambiente educacional: evidências científicas nas pesquisas da pós-graduação no Brasil”, aspectos fundamentais nos discursos e planos de ensino que enriquecem o saber profissional e o ser pessoal para melhor interagir e difundir o conhecimento.

O protagonismo compartilhado no processo de ensino e aprendizagem se entrelaça no capítulo “Aplicação do Arco de Maguerez para a formação interprofissional na saúde: um relato de experiência”, que surge como mediador do conhecimento, produzindo uma aprendizagem crítica e emancipatória. E a proposta de trabalho integrado e multiprofissional aflora o capítulo “O profissional de educação física na Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva: vivenciando a formação em uma instituição de longa permanência para idosos”, que demonstra o entender e o evoluir de práticas e saberes coletivos em saúde com o propósito de provocar mudanças e possibilitar maior eficiência nas ações e serviços ofertados. O interlaçar proposto no Ato III – Formação: Educação, Saúde, Tecnologia e Interprofisionalidade – fomentam ricas discussões, aprendizados e conhecimentos diversificados, num processo permanente de descoberta de novos meios de ensino e aprendizagens, pautados numa prática interprofissional e colaborativa, imbuída pelo desejo de um devir, em que se desvela que “não é no silêncio que os homens se fazem, mas, na palavra, no trabalho, na ação-reflexão” (Paulo Freire).

Antonio Germane Alves Pinto

José Adelmo da Silva Filho

Geanne Maria Costa Torres

SUMÁRIO (clique nos títulos para baixar cada capítulo individualmente)

ATO I – ENTRELACES DAS PRÁTICAS: CUIDADO, GESTÃO E EDUCAÇÃO EM SAÚDE

CAPÍTULO 1 – ENFERMAGEM, CUIDADO E ESPIRITUALIDADE: RESSIGNIFICANDO AS PRÁTICAS DE SAÚDE / 25
Doi: 10.35260/87429199p.25-36.2020
Vinícius Rodrigues de Oliveira
Maria Luiza Santos Ferreira
João Paulo Xavier Silva

CAPÍTULO 2 – O PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA E A EXPERIÊNCIA DA CRIAÇÃO DE UM GRUPO DE PRÁTICAS CORPORAIS NA ATENÇÃO BÁSICA / 37
Doi: 10.35260/87429199p.37-48.2020
Luciana Nunes de Sousa
Cícera Luana de Lima Teixeira
Maria Carolina Gonçalves Dutra
João Agostinho Neto
Hudday Mendes da Silva

CAPÍTULO 3 – DA TEORIA À PRÁTICA: CONHECENDO O PROCESSO DE GERENCIAMENTO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE / 49
Doi: 10.35260/87429199p.49-60.2020
Patrícia Pereira Tavares de Alcântara
João Paulo Xavier Silva
Hanykelle Alexandre de Souza
Maria Neliane Saraiva Rabelo
Morgana Vanessa da Silva Santos
Yanca Carolina da Silva Santos

CAPÍTULO 4 – GESTÃO DO CUIDADO E PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO NO ENFRENTAMENTO DAS CONDIÇÕES CRÔNICAS DE SAÚDE NO SUS: DEMANDAS, ORGANIZAÇÃO E INDICAÇÕES PARA PRÁTICA / 61
Doi: 10.35260/87429199p.61-80.2020
Rauana dos Santos Faustino
Leilany Dantas Varela
Consuelo Helena Aires de Freitas
Antonio Germane Alves Pinto

CAPÍTULO 5 – DIABETES MELLITUS NA IX REGIÃO DE SAÚDE DO ESTADO DE PERNAMBUCO: UM ESTUDO BASEADO EM DADOS SECUNDÁRIOS / 81
Doi: 10.35260/87429199p.81-90.2020
Alécia Hercídia Araújo
Carla Andréa Silva Souza
Tacyla Geyce Freire Muniz Januário
Jéssica Lima de Oliveira
José Adelmo da Silva Filho
Airla Eugênia dos Santos Bacurau
Danielle de Norões Mota
Antonio Germane Alves Pinto

CAPÍTULO 6 – EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE: FORTALECIMENTO DO CONHECIMENTO PARA AÇÕES DOS AGENTES DE COMBATE ÀS ENDEMIAS / 91
Doi: 10.35260/87429199p.91-101.2020
Keitiane Amorim de Souza Sampaio
Adriana Alves da Silva
José Adelmo da Silva Filho

CAPÍTULO 7 – ESTRATÉGIA DE GESTÃO PARA FORTALECER AS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE / 102
Doi: 10.35260/87429199p.102-114.2020
Ana Paula Agostinho Alencar
Joíce Fabricio de Souza
Vanderlânia Macêdo Coêlho Marques

CAPÍTULO 8 – PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA COMO PROPOSTA DE INTEGRAÇÃO DE SABERES E PRÁTICAS EM AMBIENTES ESCOLARES / 115
Doi: 10.35260/87429199p.115-129.2020
Angélica de Fátima Borges Fernandes
Jéssica Lima de Oliveira
Geanne Maria Costa Torres

CAPÍTULO 9 – HEMOVIGILÂNCIA E REAÇÕES TRANSFUSIONAIS: ABORDAGEM EPIDEMIOLÓGICA NO CENÁRIO REGIONAL DO CENTRO-SUL CEARENSE / 130
Doi: 10.35260/87429199p.130-141.2020
Anderson Gomes de Lima
Natália Bastos Ferreira Tavares
Riani Joyce Neves Nóbrega
Glícia Uchôa Gomes de Mendonça
Teodoro Marcelino da Silva

CAPÍTULO 10 – DESCENTRALIZAÇÃO DAS AÇÕES PARA O CONTROLE DO TABAGISMO NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: RELATO DE EXPERIÊNCIA / 142
Doi: 10.35260/87429199p.142-151.2020
Maria Darcylene de Souza Feitosa
Francisco Pereira Júnior Feitosa
Alex Josberto Andrade Sampaio
Maria Joelma Ferreira Calixto
Petrúcya Frazão Lira
Jessica Lima de Oliveira
Rauana dos Santos Faustino
Patrícia Gomes Benevides

CAPÍTULO 11 – PROCESSO DE TRABALHO DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM TEMPOS DE PANDEMIA COVID-19 / 152
Doi: 10.35260/87429199p.152-165.2020
Lívia de Sousa Rodrigues
Ana Lorena Brito Cruz
Danielly Gonçalves da Silva
Jessica Lima de Oliveira

ATO II – ENTRELACES DAS RESISTÊNCIAS: CUIDADO, AFETO, PROTEÇÃO E QUALIDADE ASSISTENCIAL

CAPÍTULO 12 – A PRÁTICA PROFISSIONAL DO ENFERMEIRO FRENTE ÀS MULHERES EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA / 169
Doi: 10.35260/87429199p.169-184.2020
Beatriz de Castro Magalhães
Ana Lorena Brito Cruz
Morgana Vanessa da Silva Santos
Celena Pedrosa Cavalcante
Juliana Saraiva de Alencar
Camila Almeida Neves de Oliveira
Patrícia Pereira Tavares de Alcântara
Moziane Mendonça de Araújo

CAPÍTULO 13 – O PAPEL DO ENFERMEIRO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE NA ASSISTÊNCIA À MULHER VÍTIMA DE VIOLÊNCIA / 185
Doi: 10.35260/87429199p.185-200.2020
Patrícia Pereira Tavares Alcântara
Francisca Evangelista Alves Feitosa
Daiana de Freitas Pinheiro
Juliane de Lira Mendes
Letícia Gomes da Silva
Lindalva Maria Barreto Silva
Rachel Cardoso de Almeida

CAPÍTULO 14 – ATUAÇÃO DO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE FRENTE À VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER / 201
Doi: 10.35260/87429199p.201-214.2020
Patrícia Pereira Tavares de Alcântara
Daiana de Freitas Pinheiro
Francisca Evangelista Alves Feitosa
Rachel Cardoso de Almeida
Marina Barros Wenes Vieira
Emanoely Holanda Silva
Beatriz de Castro Magalhães

CAPÍTULO 15 – VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA NA ASSISTÊNCIA AO PARTO: CONHECIMENTO PARA ENFRENTAMENTO PELO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE / 215
Doi: 10.35260/87429199p.215-229.2020
Maria Isabely Felix
Samara Calixto Gomes
Felice Teles Lira dos Santos Moreira
Grayce Alencar Albuquerque
John Carlos de Souza Leite

CAPÍTULO 16 – PERCEPÇÕES E VIVÊNCIAS DE ACADÊMICOS DO CENTRO-SUL CEARENSE ACERCA DA REPRODUÇÃO E SEXUALIDADE: REPERCUSSÕES PARA O CUIDADO EM SAÚDE / 230
Doi: 10.35260/87429199p.230-243.2020
Dayanne Oliveira de Matos
Roger Rodrigues da Silva

José Gerfeson Alves
Leonarda Marques Pereira
Lorena Pinheiro Braga
Edilson Rodrigues de Lima
Camila Almeida Neves de Oliveira

CAPÍTULO 17 – A ÓTICA DA GESTANTE ACERCA DOS ENTRAVES DO ACESSO AO PRÉ-NATAL / 244
Doi: 10.35260/87429199p.244-257.2020
Vanderlânia Macêdo Coêlho Marques
Joíce Fabricio de Souza
Ana Paula Agostinho Alencar

CAPÍTULO 18 – AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL E A IMPLEMENTAÇÃO DA REDE CEGONHA NO INTERIOR DO CEARÁ À LUZ DO QUALITY MATERNAL AND NEWBORN CARE / 258
Doi: 10.35260/87429199p.258-275.2020
Camila Almeida Neves de Oliveira
Roger Rodrigues da Silva
Edilson Rodrigues de Lima
Eduarda Maria Duarte Rodrigues
Paula Renata Amorim Lessa Soares
Ana Karina Bezerra Pinheiro
Priscila de Souza Aquino

CAPÍTULO 19 – USO DA TÉCNICA DE GRUPO FOCAL EM PESQUISAS QUALITATIVAS NA SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE / 276
Doi: 10.35260/87429199p.276-290.2020
Juliana Saraiva de Alencar
Nadja França Menezes
Lorena Saraiva de Alencar
Moziane Mendonça de Araújo
Amanda Caboclo Flor
Vera Lucia Mendes de Paula Pessoa
Maria de Fátima Antero Sousa Machado

ATO III – ENTRELACES DA FORMAÇÃO: EDUCAÇÃO, SAÚDE, TECNOLOGIAS E INTERPROFISSIONALIDADE

CAPÍTULO 20 – CUIDAR-GERENCIAR-EDUCAR: REFLEXÕES FRENTE À FORMAÇÃO DOS ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM / 293
Doi: 10.35260/87429199p.293-305.2020
José Gerfeson Alves
Kadson Araujo da Silva
Kamila de Castro Morais
Leonarda Marques Pereira
Lorena Pinheiro Braga
Milena Silva Ferreira
Patrícia Pereira Tavares Alcântara
Maria Regilânia Lopes Moreira

CAPÍTULO 21 – VIVÊNCIAS E ESTÁGIOS NA REALIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE: REFLEXÕES E DEBATES / 306
Doi: 10.35260/87429199p.306-321.2020
José Adelmo da Silva Filho
Mikaelle Ysis da Silva
Maria Nágela Valéria da Silva
João Emanuel Pereira Domingos
Antonio Germane Alves Pinto
Álissan Karine Lima Martins

CAPÍTULO 22 – A EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA NA FORMAÇÃO INTEGRAL EM ENFERMAGEM – 322
Doi: 10.35260/87429199p.322-333.2020
Carla Soraya Silva Araújo
João Paulo Xavier Silva
Vinícius Rodrigues de Oliveira
Maria Luiza Santos Ferreira

CAPÍTULO 23 – PRÁTICAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA POR MEIO DO PROJETO JOVENS SOCORRISTAS: UM ELO ENTRE A FORMAÇÃO EM SAÚDE E O SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE / 334
Doi: 10.35260/87429199p.334-346.2020
Tiago Ribeiro dos Santos
Kadson Araújo da Silva
Agna Teixeira Braga
Riani Joyce Neves Nóbrega

CAPÍTULO 24 – PROJETO CANAL SAÚDE ON-LINE NA FORMAÇÃO DE JUVENTUDES PROTAGONISTAS NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE / 347
Doi: 10.35260/87429199p.347-357.2020
Natália Bastos Ferreira Tavares
Vinícius Rodrigues de Oliveira
 Maria Luiza Santos Ferreira
John Carlos de Souza Leite
Aretha Feitosa de Araújo

CAPÍTULO 25 – PERCEPÇÕES DOCENTES SOBRE AS TECNOLOGIAS DIGITAIS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TDIC) NA FORMAÇÃO EM ENFERMAGEM / 358
Doi: 10.35260/87429199p.358-369.2020
Laís Barreto de Brito Gonçalves
Antonio Germane Alves Pinto
Rauana dos Santos Faustino
Joíce Fabrício de Souza
Maria Augusta Vasconcelos Palácio

CAPÍTULO 26 – SIMULAÇÃO VIRTUAL PARA O ENSINO DA SEGURANÇA DO PACIENTE / 370
Doi: 10.35260/87429199p.370-384.2020
Glícia Uchôa Gomes Mendonça
Isabela Melo Bonfim

CAPÍTULO 27 – QUALIDADE DE VIDA NA TRAJETÓRIA ACADÊMICA DE UNIVERSITÁRIOS DE ENFERMAGEM: UM ESTUDO DE CAMPO / 385
Doi: 10.35260/87429199p.385-399.2020
Mayara Targino Tavares
Roger Rodrigues da Silva
Juliana Saraiva de Alencar
John Carlos de Souza Leite
José Adelmo da Silva Filho
Riani Joyce Neves Nóbrega

CAPÍTULO 28 – COMPETÊNCIAS EM PROMOÇÃO DA SAÚDE NO AMBIENTE EDUCACIONAL: EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS NAS PESQUISAS DA PÓS-GRADUAÇÃO NO BRASIL / 400
Doi: 10.35260/87429199p.400-411.2020
Samyra Paula Lustoza Xavier
Maria Rosilene Cândido Moreira
Lucas Dias Soares Machado

Sabrina Freitas Nunes
Larissa Uchoa Melo
Luciano Gualberto Soares
Francisco Ayslan Ferreira Torres
Maria de Fátima Antero Sousa Machado

CAPÍTULO 29 – APLICAÇÃO DO ARCO DE MAGUEREZ PARA A FORMAÇÃO INTERPROFISSIONAL NA SAÚDE: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA / 412
Doi: 10.35260/87429199p.412-422.2020
Bruna Pereira de Andrade
Leonardo Nunes Ferreira
Maria Vitória Ribeiro da Silva
Helvis Eduardo Oliveira da Silva
João Agostinho Neto

CAPÍTULO 30 – O PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA NA RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE COLETIVA: VIVENCIANDO A FORMAÇÃO EM UMA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS / 423
Doi: 10.35260/87429199p.423-432.2020
Fernanda Greicy Santos de Oliveira
Nara Juliana Santos Araújo
Eleonora Nunes Oliveira
Bruna Pereira de Andrade
João Agostinho Neto

SOBRE OS AUTORES / 433