Cultura (dita) popular: Desafios e possibilidades para a História

Organizadores:

LEAL, Tito Barros
MENESCAL, Ana Alice

ISBN: 978-85-67960-50-0 – papel
ISBN: 978-85-67960-51-7 – e-book – pdf
Doi: 10.35260/67960517-2021
Ano de publicação: 2021
208 páginas

Como citar:
ABNT: LEAL, Tito Barros; MENESCAL, Ana Alice (Orgs.). Cultura (dita) popular: Desafios e possibilidades para a História. Sobral-CE: SertãoCult, 2021.

APA: Leal, T. B.; Menescal, A. A. (Orgs.). Cultura (dita) popular: Desafios e possibilidades para a História. Sobral-CE: SertãoCult, 2021.

Clique aqui para baixar o e-book

APRESENTAÇÃO

A presente obra é resultado do esforço coletivo dos alunos, bolsistas e voluntários, que compõem o grupo PET – História da Universidade Estadual Vale do Acaraú (Sobral-CE). É, também, derivação direta dos trabalhos realizados no VII Seminário PET – Cultura (dita) Popular: desafios e possibilidades para a História, realizado entre 16 e 19 de setembro de 2019 e que contou com a participação de professores, alunos e grupos artísticos de diversas Universidades do Ceará e além. Aqui está, portanto, este volume, marco na nossa formação acadêmica e, certamente, uma das maiores alegrias entre as experiências como petianos e petianas.
As atividades desenvolvidas ao longo do VII Seminário PET aproximaram graduandos, pós-graduandos e professores de História e áreas afins. Nas conferências e mesas-redondas, conhecimentos foram aprofundados e debates sobre as pesquisas desenvolvidas em torno da temática da Cultura (dita) Popular foram ampliados graças à oportunidade de diálogo direto com variados campos de investigação proporcionada pelo encontro.
As apresentações culturais incluídas na programação deram ainda mais beleza e sentido às reflexões levantadas, alegrando espíritos com o prazer da contemplação das artes e com a poesia da vida daqueles que, adornados de identidade própria, fizeram-se rica resistência e voz do (dito) popular.
Temos a certeza de que o VII Seminário PET foi uma grande experiência de amadurecimento, tanto pessoal como profissional. Nós, futuros historiadores e historiadoras, precisamos atuar com autonomia diante dos desafios que estão por vir e, mais importante ainda, precisamos agir como sujeitos politicamente conscientes e, cremos, o VII Seminário PET nos ajudou a amadurecer essas questões. Levar para o público universitário e para a sociedade em geral nossa reflexão histórica (ética, política e estética) sobre o tema proposto e apresentar os resultados de nossas leituras, estudos, debates e aprofundamentos sobre o universo da cultura (dita) popular foi um marco inconteste de amadurecimento da turma do PET História UVA.
A experiência do VII Seminário PET possibilitou materializar a História, aproximando-a de cada indivíduo que pôde participar dos trabalhos. Todos e todas foram, naquele momento, agentes conscientes de suas funções na sociedade. Juntos e juntas cooperamos com a valorização da identidade e, consequentemente, para o fortalecimento de uma resistência em torno das nossas práticas culturais.
O VII Seminário PET foi experiência enriquecedora, transcendendo o domínio do científico e acessando dimensões que somente saberes e fazeres práticos podem ensinar. Foi uma honra e um prazer receber os professores e professoras e ouvi-los(las) em cada atividade. O mesmo dizemos sobre a oportunidade de ouvir e ver a Banda de Música Municipal de Catunda, o grupo de Dramistas dos Tucuns de Tianguá, liderado pela Mestra Ana Maria da Conceição, o Trio Arupemba e o Ballet Folclórico Sal da Terra. Da união entre teoria e prática, a constatação da riqueza de significados da Cultura (dita) Popular.

Grupo PET-História – UVA Amanda Viana Sousa; Antônia Daniela De Sousa; Antônia Dnara da Costa Nascimento Lima; Antônio Edgley Furtado Sousa; Antônio Gustavo Vasconcelos Rodrigues; Adelaide Duarte Azevedo; Bárbara de Alencar Gregório de Oliveira; Denilson José Damasceno; Dayane Maranhão de Lima; Isabella Araújo Brito; Edinaldo Goncalves Nunes Junior; Francisco Antônio do Carmo De Abreu; Joyce Maria Silva Mendes; Luana Ferreira Vitorino; Luiz Eduardo Ferreira Santana; Maria Clara Teles Dourado De Aragão; Wagner Cavalcante Farias.

SUMÁRIO

APRESENTAÇÃO / 7
INTRODUÇÃO / 11

REDESCOBRINDO A CULTURA POPULAR – 1959-2019 / 23
Peter Burke

QUATRO SÉCULOS DE LEITURAS POPULARES / 41
Roger Chartier

A PERIPÉCIA DA SANTA: uma leitura residualista sobre Santa Iria em Portugal, Espanha e Brasil / 63
Tito Barros Leal
Ana Alice Menescal

ROMÂNTICOS E FOLCLORISTAS: considerações sobre a emergência do conceito de cultura popular no Brasil / 97
Manoel Carlos Fonseca de Alencar

NARRATIVAS ORAIS COMO FONTE PARA UMA HISTÓRIA DA CULTURA POPULAR / 121
Américo Souza

“QUE AONDE EU NÃO POSSO IR É ONDE MEU IMPROVISO ALCANÇA”: Cantoria e Artimanha da(s) cultura(s) popular(es) em “tempos difíceis” / 143
Francisco José Gomes Damasceno

O BALANCEIO E A CONSTRUÇÃO DA CATEGORIA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA: entre a memória e a história / 169
Ana Luiza Rios Martins

MÚSICA E CULTURA POPULAR: uma perspectiva etnomusicológica / 187
Pablo Garcia da Costa